Kizzy Ysatis

{ 1 }

Durma bastante; o sono recompõe a memória e a imaginação. É daí que veem a substância dos sonhos.

{ 2 }

Imagine primeiramente a história inteirinha na cabeça, anote só ideias aqui e ali, mas crie a história completa no livro da imaginação. Passe para a escrita física somente depois de trabalhá-la bastante na cabeça. É assim que os gênios fazem. É assim que sempre fiz.

{ 3 }

Não se deixe enganar. Quer estudar escrita? Então faça oficina com quem tenha, no mínimo, quatro romances publicados e dois prêmios no currículo. Tem gente sem prática ou reconhecimento querendo dar curso por aí. Inscreva-se na minha Cozinha Literária. Se você for bom o bastante, terá seu romance publicado no final da oficina.

{ 4 }

Viaje. Não precisa ser pro estrangeiro. Uma semana no interior e outra no litoral já te mostrarão algum contraste atmosférico, e nos hábitos do seu objeto de estudo. O ser humano é seu objeto de estudo.

{ 5 }

Tenha a mente aberta; aprenda a experimentar. O achismo barato ou o estudo acadêmico não deixam a obra com aquele brilho das coisas que respiram Falta o raio vivificante do Frankenstein. Vá além dos cinco sentidos. Viva a experiência! A que você puder, claro.

{ 6 }

O escritor narra, não julga. Seja imparcial. Ponha as opiniões na boca dos personagens, as suas e as contrárias. Observe, mas não se intrometa. Não seja preconceituoso, também não seja panfletário e guarde sua religião pra você, ou acabará criando um vampiro-fada casto e moralista que as pessoas inteligentes odiarão.

{ 7 }

Apure a sensibilidade para aprender a ser sutil quando seu texto pedir. Insinue! Não explique demais, o leitor não é burro.

Kizzy Ysatis é o nome artístico utilizado por Cristiano de Oliveira Marinho (Santos, 10 de maio de 1977), um escritor brasileiro. Em 2005, seu romance de estreia O Clube dos Imortais (Novo Século, 2006) ganhou o prêmio Rachel de Queiroz na categoria Melhor Romance concedido pela União Brasileira de Escritores (UBE-RJ) em cerimônia na Academia Brasileira de Letras (ABL), fato que o tornou o único escritor no Brasil a ganhar um prêmio com um livro sobre vampiros.

Recebeu o prêmio de Honra ao Mérito no Concurso Internacional de Literatura da UBE pelo romance O Mistério do Rio das Rosas Brancas (Novo século 2012). Publicou O Diário da Sibila Rubra (Novo Século, 2008), e é coautor de A Tríade (Terracota, 2010), o primeiro romance nacional feito por 4 escritores. Organizou a coletânea de contos Território V (Terracota, 2009). Site oficial.

Contribuição originalmente publicada no site do autor.

Deixe seu voto:
- Votos: 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *