Beatriz Vieira

{ 1 }

Não levo a escrita como uma atividade profissional. Não penso em tirar meu sustento dessa área, pois acredito que isso iria demorar muito tempo para acontecer, e talvez comprometesse a paixão em escrever por prazer. Mas respeito e admiro quem faz isso. Em um país como o nosso, isso é louvável.

{ 2 }

Sempre evoluir. Não é porque com 16 anos me disseram que escrevia bem que iria me contentar com isso. Cheguei a estudar Letras durante alguns semestres, participo de oficinas literárias e eventos sempre que posso. Acho importante abrir a visão para aprender.

{ 3 }

Para aprender é preciso humildade para perceber que nem sempre nossos escritos são tão bons assim, o que é quase complementar à dica anterior! E admitir que outros podem escrever melhor que nós. Vejo muito entre nós, escritores iniciantes, uma arrogância de se acharem mais do que são.

{ 4 }

Ler de tudo, sem preconceitos. Aprendi muito lendo gêneros diferentes, autores diversificados. Ler clássicos é uma aula! Ler contemporâneos é uma reciclagem. E ler, ler e ler é a sina do escritor!

{ 5 }

Adormecer alguns escritos. Muitas coisas que escrevo, deixo descansando nas gavetas para que as ideias possam amadurecer. Aprendi isso nas oficinas de escritores e dá certo. Depois de algum tempo, ir lá e ler aquilo que havia esquecido traz uma elucidação dos escritos.

{ 6 }

Escrever um livro é um projeto e necessita de organização e disciplina para cumpri-lo. É interessante fazer um cronograma no papel para que as ideias não se percam..

{ 7 }

Ter contatos com pessoas da área da cultura. Importante manter contato com outros escritores para aprender e trocar experiências. Conversar, visitar blogs, eventos da área só somam nessa atividade tão prazerosa.

Beatriz Vieira escreve a cerca de 14 anos. Descobriu que poderia levar essa atividade adiante quando, em 2000, venceu o concurso de poemas da Academia Criciumense de Letras. Após, recebeu apoio de outros escritores e continuou com algumas premiações no estado de Santa Catarina.Em 2005, lançou seu primeiro livro de poemas: Ao Som do Teu Nome. Depois publicou em coletâneas do Clube de Letras (Barra Bonita/SP), Informativo Cultural (Porto Alegre/RS) e em colunas de culturas em jornais locais. Em 2009 e 2010 foi colunista de literatura com Olhar Alternativo/RJ (revista digital). Durante três anos participou da Oficina de Escritores do SESC/SC, que publicaram os Cadernos de Autoria. Tem seu blog, Cartas ao Avesso, desde 2007, no qual gosta muito de postar a respeito de cultura em geral e convida todos a visitar!

Contribuição originalmente publicada no site Escriba Encapuzado

Deixe seu voto:
- Votos: 0

7 thoughts on “Beatriz Vieira

    1. Ei, olha você aqui de novo. 🙂
      Um dos objetivos da série “7 coisas que aprendi” é justamente esse, Strega: inspirar.

      Continue acompanhando o blog e comentando. É bem gratificante receber feedback dos leitores.

      Abraços,

  1. Muito bom, Beatriz!

    De todas as dicas, destaco a terceira. Humildade é fundamental, não só para que possamos continuar evoluindo, mas também para que a gente não transforme a escrita em um exercício mecânico e totalmente racional.

    Acho importante o escritor não olhar para seus textos como um ditador, cujo papel é apontar direções e impor palavras. Gosto de pensar que os textos têm vida própria, e que nosso papel é como o de um fotógrafo das nossas emoções.

  2. Conheço os poemas da Beatriz, e posso assegurar que são tão belos quanto ela. Essa menina tem futuro na escrita!

    Ótimas dicas, Bea! Parabéns ao site pela iniciativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *